Como manter a beleza das unhas depois dos 50?

Os anos passam e não são apenas a pele e o cabelo que começam a entregar os sinais da sua idade. As unhas também podem indicar que você está envelhecendo ao ficarem espessas, amareladas, com sulcos ou quebradiças.

Segundo a dermatologista Robertha Nakamura, do Centro Dermatológico e Podológico de Tratamento das Unhas, no Rio de Janeiro, elas podem se tornar mais grossas e amareladas por conta do acúmulo de queratina. “Nas crianças e adolescentes, a unha cresce rápido. Nas pessoas mais velhas, no entanto, isso acontece lentamente. Ela caminha mais devegar. Mas a queratina continua sendo produzida na mesma intensidade pela matriz. Assim, mais queratina é acumulada, deixando-a mais espessa e com essa coloração”, explica a médica.

Cuidados com as unhas

Por conta disso, as unhas também ficam mais à mercê das agressões do ambiente e propensas a desenvolver micoses: “Essa condição de ‘caminhar mais lento’ dá mais tempo para o fungo colonizar”, explica a dermatologista. Para esses casos, o tratamento é feito com antifúngicos orais, sendo que também poderá haver a necessidade de medicamentos de uso tópico.

Por que minhas unhas estão ficando quebradiças? 

Em algumas pessoas as unhas acabam ficando quebradiças e com descamações. “Isso acontece principalmente nas mãos porque a matriz da unha — a aquela meia lua visível — diminui de tamanho com o tempo. Dessa maneira, a unha deixa de ser irrigada como deveria”, coloca Robertha. Além disso, a dermatologista Jucele Bettin, de São Paulo, lembra que o teor de gordura diminui com a idade, fazendo com que as unhas percam água com mais facilidade. “Desidratadas, elas se tornam quebradiças e mais finas”, acrescenta Jucele.

A redução de hormônios nas mulheres que acontece com a menopausa, uma possível histerectomia precoce (retirada de útero e ovários) e até mesmo um quadro de hipotireoidismo também podem ser causas das unhas das mãos fragilizadas. E por ficarem finas demais, podem apresentar sulcos longitudinais ou estrias. “Isso porque o tecido onde a unha repousa é estriado e, se ela está muito fina, a unha adquire a forma dele”, explica Robertha.

Outra alteração que as unhas podem sofrer com a idade é o “formato de garra”. “Acredita-se que elas ficam mais curvadas por conta da diminuição da ceratose, aquela pele mais grossa ao redor das unhas, o que dá espaço para ela se curvar”, complementa a dermatologista do Rio de Janeiro.

Como manter as unhas jovens e saudáveis por mais tempo

Apesar de todos essas alterações acontecerem no nosso corpo com o decorrer dos anos, ainda assim dá para ter unhas bonitas. Veja as dicas:

• Hidrate suas unhas com produtos específicos. Isso mesmo! Existem no mercado produtos com óleo ou silicone que penetram na queratina e promovem a adesão das células que descamariam. Eles têm a mesma apresentação do esmalte, mas com propriedades hidratantes.

• Se possível, não retire as cutículas com alicate. “Elas são uma barreira de proteção contra fungos e bactérias”, alerta a dermatologista. Nesse caso, opte por cosméticos redutores de cutículas, que as deixam menos visíveis.

• Caso as unhas estejam quebradiças, procure deixá-las curtas. E peça para o médico avaliar a necessidade de suplementação da vitamina biotina. “Ela é uma maneira de repor a matriz das unhas e acelerar a velocidade com que ela cresce”, fala a dermatologista Robertha.

• Alterne 5 a 7 dias com esmalte nas mãos e um a dois dias sem para hidratar as unhas. “Ao contrário do que se pensa, o esmalte não as impede de ‘respirar’, uma vez que é a irrigação sanguínea que faz esse papel. No entanto, o esmalte contribui para deixá-las ressecadas. Daí a importância de hidratá-las com óleos e silicones específicos nesse intervalos”, explica a dermatologista. Nos pés, esse tempo pode ser maior, cerca de 15 a 20 dias, com respiro de alguns dias e a hidratação.

• Evite usar os esmaltes em gel. Como eles precisam de produtos mais agressivos para serem retirados, acabam favorecendo ainda mais o ressecamento da unha.

• Opte por removedor de esmalte no lugar de acetona. A fórmula desse produto não é tão agressiva a ponto de ressecar a unha.

• Se elas estiverem finas demais, use esmalte vermelho. “Ele age como um fotoprotetor, evitando a fotoonicólise, processo de descolamento da unha quando exposta ao sol”, diz a dermatologista.

• Procure cortar e lixar as unhas dos pés a cada 15 dias. Isso também evita que elas fiquem em formato de garra. E não se esqueça de fazer um corte mais reto para evitar que encravem.

• Se elas estiverem com sulcos ou estrias por estarem finas, evite lixar a superfície. E prefira usar esmaltes preenchedores que nivelam essas ondulações, como se fosse uma maquiagem. Caso contrário, você pode fragilizá-las ainda mais. “Algumas marcas já têm esmaltes com fibra de vidro, por exemplo”, fala a médica.

• Para reduzir a espessura das unhas que estejam grossas pelo acúmulo de queratina, a dermatologista ensina: “Eu oriento manipular ureia a 30% aplicar nas unhas, colocar um esparadrapo em cada uma para que a substância atue durante à noite e, pela manhã, lixar a superfície. Ao fazer esse procedimento uma vez por semana, é possível garantir que as unhas não fiquem grossas”, finaliza Robertha.

0 comentários:

Postar um comentário